• Edu Peres

O básico pra evitar virar estatística


Olá pessoal! Esse post é em especial para quem membros da comunidade LGBTQIA+ (embora se você não for, aproveite esse espaço para aprender um pouco da nossa realidade). Carnaval pra nós pode facilmente se tornar um Dia das Bruxas com requintes de horror. Enquanto por um lado é uma oportunidade de fantasiar-se da forma mais criativa, divertida e livre possivel, por outro é uma constante preocupação com o iminente risco de ser alvo de violência por LGBTfobia. Nosso pais é um dos campeões de casos de violência contra nossa comunidade (especialmente contra as pessoas trans) e é importante ressaltar: Você não esta imune. Nós não temos o privilégio heteronormativo de andar despreocupados (nem mesmo você que se insere nos padrões). Então garanta alguns reforços pra que sua folia e a de seus amigues seja ainda mais segura:


Vá aos blocos LGBT:


Embora em São Paulo eles tenham sido tomados por héteros no último ano, ali a chance de você estar num ambiente acolhedor é maior. Sem contar que, convenhamos, a música será muito (MUITO) melhor;




Não abandone os amigos:


A regra é ninguém soltar a mão de ninguém, certo? Por isso, não deixe seus amigues sozinhes no bloco. Dividam-se em duplas pra buscar bebida, ir ao banheiro e até pra segurar vela pra amigue beijoqueira;





Tenha um telefone de emergência a mão:


Caso ocorra algo e você - ou alguém que intervenha por você - tenha que chamar um/a terceiro/a, é importante que esse contato esteja de fácil acesso. Dica: escreva no braço com caneta permanente


"Meu nome é ___, moro no endereço ____ e se eu preciso de ajuda,

ligue para o número ____";


Não mistura muito:


Não é aula de Poções e você não é um bruxo, Harry. Começou na cerveja? Permaneça nela*. Misturar muito pode dar ruim e te colocar em risco. Isso vale pra outros tóxicos além do álcool;

(* Ou façam rodízio no grupo de amigos de quem será o sóbrio/a da vez)





Faz a escoteira:


No escotismo (sim, aquele movimento do jovem de uniforme que acampa) existe um lema que é o "Sempre Alerta". Pois então faça a escoteira e não dê bobeira no bloquinho;




Se puder, documente tudo:


Caso a situação não seja de perigo iminente e você tiver como, filme tudo (em especial se você for negro). Discriminaçao é crime, imagens dizem mais que palavras e enquanto minoria, a tendência é de sermos desacreditados por todos;



Corra:


Agora sentiu cheiro de perigo, não inventa de reagir. Mete o pé e não vire estatística. E lembre-se da 2ª dica: não deixe ninguém pra trás.




Segurança também é questão de saúde pública, e precaução nunca é demais. Desejo a todes um excelente Carnaval! Até a proxima!

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 

Portal Edu Peres

Formulário de Inscrição

  • Instagram
  • YouTube
  • Twitter

©2020 por Edu Peres Sexologia. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now